Moi, Anne




Hora de encarar a realidade e admitir que me enganei durante todo esse tempo: eu não gosto tanto assim de chá quentinho, e nem de chá gelado...
E graças a essa história do chá, comecei a me questionar sobre várias outras coisas.

Por exemplo, eu refleti bastante essa manhã, e acho que finalmente aceitei que publicidade nas redes sociais e no blog não é uma opção. E que eu não vou poder usar o dinheiro desses publis para pagar o aluguel de meu quarto imaginário em Santa Cecilia, São Paulo.

Também pensei em como, na faculdade de Design de Moda, peguei uma certa raiva do mundo fashion depois de ficar ouvindo todo santo dia "que moda não é só passarela" [coisa que não era nem dos professores].
E foi também, durante meu período universitário, que desenvolvi um carinho especial por gays e trans. Eles são muito legais.



No dia que um vendaval levou uma telha daqui de casa, tudo ficou molhado por causa da chuva e todos se exaltaram e gritaram, eu só pensei em porque nós acumulamos tantos bens materiais ao longo da vida.
Para que tantos livros, que ocupam espaço demais, ou para que celulares tão caros, que as pessoas passam dois anos pagando só para vir algum desocupado levar seu aparelho [que é mais caro que uma máquina de lavar]? E para que ficar tanto tempo mexendo no celular e esquecer de viver a vida fora dele?

Sim, tenho me questionado muito sobre o que consumo, o que produzo, e qual minha alternativa viável para ganhar dinheiro hoje.
* até pensei em distribuir panfletos da DiCera Store pelos postes da cidade, mas desisti por morrer de medo de ser presa

Sim, o blog não me dá dinheiro, e já está na hora de parar de me comportar achando que essa realidade vai mudar. E também está na hora de parar de criticar blogueiras [que não gostam de ser chamadas de blogueiras e sim de "digital influencers"] que se vendem por dinheiro e só produzem conteúdo patrocinado.

Pois bem, segue o baile...


< ♡ >

Auf Wiedersehen