Começou Na Sacolinha




Que o plástico nunca se decompõe a gente já sabe. A gente usa uma vez e ele vira, todo feliz, a comida do peixe que você vai comer no almoço - é a vingança do petróleo por você não ter levado sua própria sacola na hora de comprar pão no mercado. E a gente não leva as vezes porque precisamos dessa sacolinha, por comodidade, para usar no banheiro.

Quando surgiu o boato de que os estabelecimentos iriam cobrar pela "sacolinha", integrei o time que falava: "nossa, como se isso fosse fazer diferença para salvar o planeta". Seu eu soubesse... 
A realidade é que eu não sabia. Mesmo. Ninguém me ensinou que a sacolinha do mercado, onde a gente coloca o papel higiênico depois de limpar o bumbum, pode muito bem ir parar no mar e virar a comida da baleia que vai morrer por inanição. E eu também nunca tinha ligado os pontos.
* fui ingênua

Sim, tem muito um frenesi pelo movimento anti-plástico "estar na moda", o que está gerando uma certa "revolta" em quem só quer destruir o planeta [o pessoal não está aceitando mesmo].
Ser sustentável, comprar canudo inox pro de plástico não entrar no nariz da tartaruga... - duvido que sua blogueira preferida usasse o tal canudo reutilizável antes de 2018 [muita falsidade envolvida?].
Mas por que só agora isso veio à tona? 

A real é que todo mundo estava vivendo numa bolha que os poucos que conheciam a gravidade da situação se esforçavam para estourar e ninguém ligava. Mas finalmente a gente sabe que não dá mais pra viver assim, a gente também sabe o que é o Dia Da Sobrecarga Da Terra...
Não importa como esse movimento ganhou força, o importante aqui é que ganhou. Ponto.

Você precisava pegar a sacolinha do mercado? Não. 
Mas pegou mesmo assim... Agora aguenta.


- consuma com consciência

Nenhum comentário:

Postar um comentário