The Age Of Adaline




Já pensou não poder envelhecer? Que fardo grande não deve ser carregar isso?
Estar sempre fugindo para não virar um experimento do governo, ver as pessoas que você ama envelhecerem e morrerem sem que você possa fazer nada... Chorei na cena do cachorro? Óbvio que sim. E depois entendi porque Angel terminou com Buffy na terceira temporada de Buffy, A Caça-Vampiros.
...

Blake Lively [a atriz principal], sempre tão fofa, conseguiu trazer toda a delicadeza e maturidade que Adaline exigia, apenas com um vacilo ou outro [o que na verdade é mais culpa do roteiro, que em alguns momentos apelou demais, do que da atriz]. E a química que rolou entre ela e Michiel Huisman [o moço bonito que interpretou seu par romântico] foi excelente mesmo sendo impossível acreditar que homens como Ellis existiam de verdade. Mas aí vem a desculpa de que se trata apenas de um filme, não é?
...

Foram quase duas horas de filme, onde observei Adaline viver sua vida normalmente, morrer, viver de novo, fugir... Mas chegou num certo ponto em que fui obrigada a falar: "rapaz, mas isso é coincidência demais".
Acredite chuchu, essas coincidências existem, ah como existem...
*who knew?

Mesmo que toda essa história maluca sobre não envelhecer [no filme, justificada pela ciência] não seja uma tão inovadora história de amor, The Age Of Adaline conseguiu deixar meu coração tão quentinho quanto uma boa xícara de chocolate quente. 


água com açúcar que é bem vinda

Nenhum comentário:

Postar um comentário