Ontem Durante O Jantar




Ontem na hora do meu jantar estava passando Sex and the City - O Filme no Cinemax, e nada mais interessante em nenhum outro canal. Decidi assistir apenas porque não sou do tipo que gosta de ficar no jornal [de ruim, já basta minha situação financeira], e sofri calada. 
* mas assistiria de novo hoje a noite

Como pude, nos meus anos de juventude, amar tanto Carrie Bradshaw? Que personagem chata... e mala também [já que estou falando mal dela, vou fazer direito]. Que louco é pensar que foi por causa dela que comecei a escrever. Porque se hoje [veja bem] eu tenho esse blog, devo isso em grande parte a Sarah Jessica Parker [que conseguiu ser tão irritante quanto sua personagem quando Kim Cattrall não quis voltar para um terceiro filme].

Agora o que me trouxe aqui hoje foi uma cena especifica em que Samantha diz, no jantar antes do "grande" casamento, que deveria revelar coisas embaraçosas sobre a noiva. Mas, que no grupo dela, "they never kiss and tell". Bem... O que ainda havia para ser dito, já que Carrie se queimava sozinha nas suas colunas e nos seus livros?
E pior, a personagem não queimava ela apenas, mas também suas amigas - "e não escreva sobre isso em sua coluna, Carrie". Será que não existe um limite para o cronista e qualquer coisa pode ser usada para alavancar a audiência, como estou fazendo agora? Bom senso ninguém tem?

Continuo [e vou continuar por anos e anos] assistindo Sex and the City - O Filme quando ele reprisar na tv e eu não estiver fazendo nada. Porque amo os conselhos de Samantha, amo como Carrie consegue se erguer depois do término e reforma todo o apartamento, amo Louise [que merecia muito mais do que casar e voltar para sua pequena cidade]... 

Gostaria de poder me dar ao luxo de chorar minhas pitangas com uma nova escrivaninha? Gostaria.
E, assim como Carrie, ter a certeza de que a inspiração viria se eu estivesse escrevendo na mesa certa.


- o toque do meu celular ainda é a abertura da série

Nenhum comentário:

Postar um comentário