Talvez Em Londres




O melhores dias são aqueles nublados. Me sinto, quando saio de casa, andando por ruas londrinas rumo a um café onde poderei usar o wi-fi para trabalhar e mandar a crônica da semana para aquele jornal do sul do Brasil.
As ruas úmidas depois da chuva da madrugada apenas reforçam esse meu sentimento de ser e estar no velho continente..

Tudo bem que são só histórias dentro da minha cabeça. Mas se Dumbledore disse: "Claro que está acontecendo em sua mente, Harry, mas por que isso significa que não é real?", então eu poderia sim estar na Inglaterra. Onde o brasileiro pode ficar até 6 meses por ano, e não mais [atenção ao serviço de utilidade publica].

Eu me sentaria na janela do café. O que me distrai, mas tudo bem, se essa distração for pessoas andando pelas ruas de Londres. Um preço pequeno a  se pagar, com o bônus dessa distração me gerar mais ideias que irão virar textos a serem publicados naquele jornal do sul Brasil, ou quem sabe até na Vogue UK.

E a tentação de usar a internet para navegar por bobagens e comprar produtos de skin care no eBay só ocorreriam na hora de passar o texto para o Word, momento que requer ainda mais de minha atenção. Digo isso porque todos os textos já foram todos escritos no meu Moleskine durante uma viagem de trem, voltando de Paris após fotografar um casamento que dois anos e meio depois terminaria em divórcio.


- gratidão por estar aqui na Inglaterra, ou quase

Nenhum comentário:

Postar um comentário