Who Cares Vol. 02




As coisas não são mais como antigamente.
Falo aqui sobre uma época quando, na escola, o título da matéria era com caneta colorida, e o texto em si quase sempre azul;
e sobre aquela agenda que era um diário da vida [lembra?, tinha ingresso de cinema do final de semana colado ao lado da embalagem da trufa presente da amiga].

Hoje essa vida organizada pelo sistema de cores se resume a um caderno com emaranhados de palavras, escritas de qualquer jeito, e páginas manchadas, provavelmente com algum hidratante gorduroso.
Quem tem tempo para fazer bonito?

São coisas como essa que a gente perde quando vira adulto?
Porque hoje meu momento de prazer se resume a uma deliciosa mania de começar frases com letra minuscula.

Tentar? Sim, as tentativas acontecem. 
Mas a cartela de cores simplesmente não combina mais, e a tentação do trio vermelho/preto/azul [com exceção do azul] que a PILOT oferece em suas clássicas canetas [hoje não mais com embalagem transparente] tem se tornado objeto de cobiça. Se eu me arrependi de não ter comprado o conjunto delas quando fui na 25 de março semana passada? É claro, mas não tanto.

Talvez porque isso de coisas, de acumular coisas com a desculpa de que "é meu trabalho" já não me sirva mais. E hoje minha vida se resuma a qualidade acima de todas as coisas.


- cresço, logo aprendo

Nenhum comentário:

Postar um comentário