Destination Wedding




Me surpreendi com toda uma história acontecendo apenas como coadjuvante [e bota coadjuvante nisso]. 
O avião atrasado, o casamento... meros detalhes que se desenrolam nas vidas de Lindsay e Frank [casal foco total do filme]. Dois rabugentos, que por coincidência do destino [ou não], se consolam ao fazer companhia um ao outro num casamento onde nenhum deles gostaria de estar.

Assistir Destination Wedding, entendam, é como ler um livro em primeira pessoa. Ou como conversar diretamente com alguém... 
Caramba, eu me senti conversando com os personagens. Confesso que não encontrava nada assim, tão diferente no mundo, desde que assisti Before Sunrise pela primeira vez.

E durante os 90 minutos de filme, em momento algum, os personagens principais são de fato vistos trocando palavras com ninguém além deles mesmos. 
Viu como tudo ao redor não se incomoda em se disfarçar de coadjuvante?
Quem é a noiva [pessoa mais importante da festa] na fila do pão quando temos em cena Keanu Reeves e Winona Ryder? 
* me pergunto se teria sido a intenção de Victor Levin, autor e diretor do longa, deixar sua obra com essa pegada tão Woody Allen? 
...

Destination Wedding é uma proposta ousada e diferente que tira de si o rótulo de "apenas mais uma comédia romântica". Que tem um final totalmente previsível, e um trailer muito mais engraçado. 
Mas que foi amado por mim em cada instante.


- o shipper que você respeita

Nenhum comentário:

Postar um comentário