Not A Client Kind Of Store




É bem estranho sentar no estrado do meio da loja e observar os outros dois andares a cima. Quando não muito tempo atrás eu, e tantas outras pessoas, podíamos nos sentar no chão de qualquer lugar aqui dentro, para talvez pensar na vida.

Coisa boa a lembrança de me sentar naquele tapete e encostar as costas na coluna azul do segundo andar. Agora só lembranças que me pergunto se existiram de verdade.

"Não pode mais sentar no chão, moça."
"Mas por quê?"
"Muita gente vinha aqui e ficava lendo o dia todo sem comprar nada. Logo, os lugares para sentar precisaram se tornar limitados."

* se você não entendeu o conceito: eles querem que você passe menos tempo na loja

E a cura para afugentar clientes ruins se tornou o que afasta clientes que talvez fossem comprar [não há mais lugar para indecisões]. 
Mas que importam esses clientes que "talvez fossem pagar"? Temos alguns lugares conhecidos como poltronas onde eles podem matar uns aos outros para conseguir se sentar e avaliar se a compra vale a pena ou não.

Mas quer saber?
Não mais frequento tanto aquela loja. Compro no site um ebook, ajudo a salvar o planeta...

E talvez esse seja mesmo o futuro: "nossa, você acredita que antigamente as pessoas iam em lugares para comprar livros?!"
Isso se houver um futuro...


- aconteceu na Livraria Cultura

Nenhum comentário:

Postar um comentário