Desapega, Desapega




Não sei vocês, mas ainda me sinto tão presa a bens materiais, como livros e lantejoulas. Desapegar é difícil...

Vejam bem, estou com pensamentos bem loucos, ainda que bem realistas, sobre como a vida é curta. Vou fazer 30 anos em 2020, e depois disso, talvez eu viva no máximo 100 anos, dependendo da medicina moderna. E se pensarmos que cem anos atrás o mundo ainda estava lutando a primeira guerra mundial e Chanel estava livrando as mulheres do espartilho, chegamos a conclusão que 100 anos, é muito pouco tempo.

Explicar como estou me livrando de quase tudo que tenho nem chega a ser uma opção. E não é só por buscar um futuro onde eu não dependa de mummy e daddy e nem sobre minhas ambições sobre o nomadismo digital, e sim sobre o excesso de excessos.

Só em junho foram vendidas mais de 40 caixas de DVDs de uma tacada só, incluindo a minha coleção das 10 temporadas de FRIENDS que levei dois anos para comprar [na mala não ia ter espaço para carregar, e eu tenho todos os episódios em qualidade blu-ray no meu computador]. Os livros também estão indo em lotes para os sebos da cidade e finalmente criei coragem para me livrar do excesso de seios que carrego desde os 13 anos. 
* só falta convencer a nojenta da minha ginecologista a me mandar para o cirurgião...

Sempre repetindo como papagaio neste blog: não quero acumular coisas que não vou levar comigo quando morrer.


- acume experiência e não coisas

Nenhum comentário:

Postar um comentário