Drácula: Morto, Mas Feliz


Vocês já viram aquele Drácula de 1931 com o Béla Lugosi?
Então...
Drácula: Morto, Mas Feliz é muito provavelmente uma paródia desse clássico dos anos 30, mas eu não quis conferir minha teoria [isso iria passar a impressão de que esse blog deve ser levado a sério].


O filme começa não com Jonathan Harker, e sim com Renfield subindo as encostas da Transilvânia até o castelo de Drácula, porque [adivinhem] o conde deseja uma propriedade em Londres. Até esse ponto, e depois também, é tudo igualzinho ao filme com Lugosi.
Mina aqui é filha de Dr. Seward e tanto ela, quanto Lucy, moram no prédio onde fica o hospício. Jonathan ainda está presente como noivo de Mina e Van Helsing é um médico interpretado pelo diretor do longa.

Temos várias cenas, principalmente no começo, com efeitos especiais de qualidade Chaves [sim, aquele que passa no SBT]. São tão toscos que chegam a ser engraçados, hehe... talvez uma característica do filme?

Num geral, achei um pouco forçado. Não são cenas cenas leves em que o riso vem nauralmente... Tudo bem que esse tipo de comédia é assim mesmo, mas juro pra vocês que a minha vontade era largar o filme na metade.
* lógico que eu não iria fazer isso de verdade, é Halloween


Opa!
Nem contei pra vocês o que eu mais amei no filme...
Gente, as cenas de dança do Conde Drácula com Mina são sensacionais! Como um Dirty Dancing gótico que se passa no século XIX, mas sem a parte do Dirty...

Enfim, recomendo.


< ♡ >

Tocando a Vida Fora Do Blog:

Nenhum comentário:

Postar um comentário