The Second Time Is A Charm


Durante anos resisti.
Vez ou outra volto aqui no blog para fazer a mesma coisa e declarar meu amor pela série.
Sim, eu amo o mundo que J.K Roling criou e não há nada de que me envergonhar. E também levo comigo sempre, aqueles sagrados ensinamentos de Alvo Dumbledore, do tipo "escolher entre o que é certo e o que é fácil".




Essa já é a segunda vez que leio a série toda [estou no sexto livro neste momento], e até o Draco começo a enxergar diferente.
Sabe, é fácil julgar uma pessoa. Não estou justificando o personagem, vejam bem. Mas para mim, Draco sempre foi um menino muito carente, com um pai que achava que poderia demonstrar amor na forma monetária e que cresceu em um meio que não ajudava. Sabe, acho que ele fazia o que fazia só para chamar a atenção.
E mesmo assim Dumbledore nunca desistiu do garoto. Grande homem, o Dumbledore...


Tenho aplicado também os ensinamentos de economia dos gêmeos Wesley para meu trabalho no bloguinho e na lojinha que abri no Mercado Livre [estou arrumando tudo por lá, mas você já pode acessar o link no topo da página]. Afinal, tempo é galeão, queridos leitores.


Apesar desse vulco-vulco que fez geral querer bancar o nerd, foi há mito tempo atrás que comecei a receber conselhos sobre a qualidade do material de Harry Potter [desde mummy até meu Yoda, Sheldon Cooper].
Pois que em Fevereiro ou Março do ano passado falei: é agora.


Mas não sou como esses que choram e gritam por causa da série. Sei me comportar.
Eu, por exemplo, não gosto muito dos filmes, e não tenho vontade de ler o "oitavo" livro [mas estou louca para o Thiego liberar um video cheio de spoilers lá no Observatório Potter. Sim, estou curiosa...].

Nenhum comentário:

Postar um comentário