Sobre Ter e Não Ter...


Às vezes fico passeando por blogs já consagrados pensando: por que não eu?
* acho que você também faz isso...

Em todo começo de profissão é assim, a gente se deprime.
Até pedreiro começa com assistente de pedreiro... é a ordem natural das coisas. 
Por isso, em vez de me abalar com o que eu não tenho, ficarei feliz pra caçola com o que de fato tenho. E peço que você, caro leitor, faça o mesmo. Partiu?

Eu tenho um blog. Ele é bonito. E tem leitores recorrentes.

Minha Canon XS pode ter deixado de funcionar, mas tenho uma câmera compacta que amo.
* ela é vermelha

Uma vez me falaram que só damos valor a coisas simples como andar quando não o podemos mais fazer.
Eu dou valor a tudo, mas a pessoa em questão não acreditou. Preferi não insisti.
De verdade, não tenho como explicar o sentimento de gratidão que sinto por poder comer sozinha, por poder ler, andar, respirar...


Não consigo tocar meu violão por uma fraqueza muscular que comecei a desenvolver aos 11, mas tenho um violão lindo mesmo assim. É a vida...

Tenho uma moradia, mummy e daddy, meus amigos próximos que amo e me respeitam por eu ser solteira...

Eu sempre soube me virar sozinha em quase tudo. Acho que por isso o boato "de que sou muito inteligente" começou.
Não é tão simples, por exemplo, restaurar as configurações de fábrica do roteador da VIVO. Mas sabendo procurar, dá pra achar. Simples.

<♥>

Por tudo isso e mais sou grata ao Universo.
Do fundo do coração eu digo: obrigada.
E obrigada a vocês, que por algum motivo gostam de ler as besteiras que escrevo por aqui.


Por hoje é só pessoal
Auf Wiedersehen

Nenhum comentário:

Postar um comentário