Buffy, A Caça-Vampiros & Eu


Buffy, A Caça-Vampiros rendeu bons momentos em minha, digamos, infância. Foi muita emoção regada a muito pó de vampiro. E um pedacinho de mim até ficou com o canal americano WB quando eles cancelaram a série.

Mas o bonde não vai andar por esse caminho hoje...
*Eita...

A primeira temporada é meio bobinha, com uma Buffy ainda infantil, do tipo que ainda não tocou o despertador para caça-vampiros.  A segunda sim, nessa eu me amarro. Humor na medida, romance e muito drama do tipo triste.
Na terceira temporada a série perdeu aquela linha sombria legal do ano anterior e voltou aos primórdios de roteiro do começo da série.

*Quando revi o segundo ano de Buffy para o Outubro-Halloween, percebi que a série devia ter tomado outro rumo na terceira temporada. Achei que depois de ter matado Angel, Buffy amadureceria. Mas ela voltou a ser a mesma bobinha da primeira temporada.


O que uma pessoa diz quando ela só ama uma temporada de sete?
A segunda temporada de Buffy é diferente de todo o resto. Tem aquela pegada romântica no começo e aquele putia drama no final, depois que Angel perde a alma e volta a ser um vampiro do mal. E quando Buffy tem de matá-lo para salvar o mundo. Sei lá, acho isso tudo meio profundo.

E tem um episódio maara que eu amo-amo-amo. O de número 19, "Eu Só Tenho Olhos Para Você". Ele trata de um estudante que matou a professora/amante em 1955 e depois se matou, que agora, muito arrependido, procura um meio de conseguir o perdão de sua amada. Nele temos um ultra-jovem Christopher Gorham [o fofucho Auggie, de Covert Affairs] no comecinho da carreira. É muito legal.

Se eu recomendo a série toda? Acho que não...


"Qual foi o ápice da nossa relação? 
Quando eu te matei ou quando você me deixou?"
Buffy

Por hoje é só pessoal
Auf  Wiedersehen

Nenhum comentário:

Postar um comentário