O Livro Perdido Das Bruxas de Salem


Olá pessoas!!!

Quando li O Livro Perdido Das Bruxas de Salem pela primeira vez, acho que ainda estava na faculdade... Acontece pessoas, que naquela época eu passava o dia todo na Saraiva porque mummy e daddy estavam reformando a casa e eu sou muuuito alérgica a essas coisas. E li vários livros durante esse período de exílio, incluso este.

Rumo a sinopse:
Connie fica sabendo que a casa de sua vovó, em Salem, precisa ser vendida para acertar os impostos atrasados com a prefeitura. E Connie também fica sabendo que ela é quem deve dar aquela arrumada carinhosa na casa para poder vendê-la e pagar as dividas do imóvel.
[O curioso é que a protagonista, candidata a uma vaga fixa no quadro de professores de Harvard, precisava muito achar um tema para sua dissertação, e ela acabou achando um justamente na casa da avó. Que coisa, não?].

O livro intercala entre a época atual da história com o tempo de Deliverance Dane, a protagonista do passado.
*Já tive a oportunidade de experimentar isso antes com o livro fodástico Julieta, de Anne Fortier.

Apesar de ter gostado muito na época, hoje eu o achei completamente tedioso. Não me levem a mal, a temática é massa, teria tudo para ser muitississimo legal se Katherine Howe - a autora, não tivesse descrito tão minuciosamente cada acontecimento do livro. Acabou que precisei pular muitos pedaços no final.

Quem me acompanha no insta sabe que comei a lê-lo, dei uma parada para O Segredo de Emma Corrigan, e depois retomei a leitura [eu queria fazer a resenha dele em Outubro/Halloween, vê-se que pelo menos isso deu certo].

Vale a pena para conhecer um pouco do mundo de Salem nos séculos XVII e XVIII, muito bem desevolvidos pela autora. Mas estejam alertados que Connie é a protagonista mais pela-saco que já tive o desprazer de conhecer. Ela é totalmente impaciente e várias vezes até arrogante.

Mas gente, ele não é maara por fora? Aiaiai...

Por hoje é só pessoal
Auf Wiedersehen

Nenhum comentário:

Postar um comentário